Nova Andradina - MS Busca
Audi Q5

Já andamos: Audi Q5 TFSIe é híbrido plug-in que chega por R$ 413.990

Primeiro veículo PHEV da marca no país acelera até 100 km/h em 5,3s e tem autonomia elétrica até 62 km

07:42 - 01 jul 2022 | Por Motor 1.com

A Audi inicia no Brasil a oferta em regime de pré-venda do Q5 TFSIe quattro. O primeiro veículo híbrido plug-in da marca no país, o modelo chega ao mercado nacional nas carrocerias SUV e Sportback com preços a partir de R$ 413.990 (modalidade de venda direta). Motor1.com já teve um primeiro contato ao volante com o SUV híbrido em rodovias brasileiras a bordo de uma unidade alemã.

Disponível desde já, o cliente poderá escolher ainda entre as versões Performance e Performance Black, sendo o primeiro lote composto por 300 unidades. “Usamos toda a nossa expertise na venda de veículos 100% elétricos no Brasil para trazer os novos Audi Q5 TFSIe quattro, um utilitário de luxo com motorização híbrida para atender aos consumidores que preferem realizar uma transição gradual dos modelos à combustão para os totalmente elétricos”, afirma Daniel Rojas, CEO e presidente da Audi do Brasil.

O conjunto híbrido do Q5 TFSIe quattro combina o motor 2.0 TFSI EA888 a gasolina (252 cv de potência e 37,7 kgfm de torque) com um propulsor elétrico de 143 cv e 35,7 kgfm de torque. Juntos, entregam potência combinada de 367 cv e torque de 50,9 kgfm. A transmissão é sempre a S-tronic de 7 marchas e, de acordo com a Audi, garante aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 5,3 segundos, além de velocidade máxima de 210 km/h (limitada eletronicamente). No modo puramente elétrico, a velocidade máxima é de 135 km/h.

A bateria em íon-lítio de alta tensão está localizada abaixo do piso do porta-malas, sendo composta por 104 células prismáticas, e pesa 142 kg. Segundo a marca, possui capacidade de armazenamento de energia de 17,9 kWh, tensão de 381 volts e garantia de 8 anos ou até 160 mil quilômetros. Além disso, proporciona autonomia no modo puramente elétrico entre 56 e 62 km (ciclo WLTP).

O Q5 TFSIe oferece de série sistema de carregamento compacto para garagem e pode ser recarregado também em tomadas domésticas ou industriais, com potência de carregamento de até 7,2 kW em tomada industrial.

Entre os equipamentos, destaque para controle de cruzeiro adaptativo (ACC), Audi Virtual Cockpit (exibe informações de cruzamentos, curvas, rotatórias, saídas de rodovia e tráfego à frente), conjunto óptico Full LED Matrix, lanternas com elementos luminosos OLED tridimensionais e dinâmicos, ar-condicionado automático de três zonas e sistema de entretenimento MMI com tela sensível ao toque e conectividade com as plataformas Android Auto e Apple CarPlay.

Há ainda acessórios como capas de chave, rodas diamantadas de 20 polegadas (modelos “Falx” e “Vox”), jogo de pedaleiras e descansa pé em aço escovado e borracha antiderrapante, retrovisores em carbono. É possível adicionar ainda o Audi Beam, com luzes em LED que projetam símbolos da marca no solo quando se abre a porta. São três imagens oferecidas: logotipo quatro argolas, logotipo Gecko e logotipo quattro. Por fim, a câmera de gravação “Universal Traffic Recorder” – UTR (dianteira + traseira) registra imagens em alta resolução durante o trajeto.

Além da versão híbrida, o Q5 também é oferecido em configuração tradicional a combustão. Tem motor 2.0 TFSI sem eletrificação e agora ajustado para entregar 265 cv de potência e 37,7 kgfm de torque. A transmissão é a S-tronic de dupla-embreagem e 7 marchas, com tração quatto. A Audi divulga aceleração de 0 a 100 km/h em 6,1 segundos. Os preços partem de R$ 344.990.

Durante o lançamento do novo Q3 Sportback 2.0 TFSI no Brasil, a Audi trouxe algumas unidades alemãs do Q5 Sportback TFSIe para um breve contato. Visualmente, as únicas diferenças são a porta adicional no lado direito para a recarga das baterias e o emblema TFSIe. Por dentro, o carro importado da Alemanha tinha configuração de equipamentos diferente do modelo que chega agora ao Brasil, mas ao menos o painel de instrumentos e os comandos gerais para seleção do modo de condução são os mesmos, se diferenciando pelas informações das autonomias elétrica e gasolina.

Ao volante, o Q5 TFSIe consegue entregar bem o gostinho de um elétrico puro. Destaque para a arrancada vigorosa ao se pisar no acelerar, reflexo dos 35,7 kgfm de torque do motor elétrico. Mesmo 2 kgfm menor que o do motor a combustão, garante muita agilidade pelo fato de estar disponível de imediato. Rodando no modo puramente elétrico, os 143 cv são suficientes para movimentar o SUV na cidade. Nem parece que tem 200 kg a mais do que a versão a combustão.

Na estrada, está o bom acerto típico da Audi com uma direção bem afiada. Em trecho de serra, o SUV híbrido mostrou boa calibração da suspensão com muito equilíbrio entre o conforto esperado para um modelo deste segmento com o desempenho em curvas com pouca inclinação da carroceria. O ponto que mais se difere são os freios regenerativos, que atuam em duas fases de frenagem.

Na primeira, usa regeneração do freio até 0,2g (isso faz com que o carro siga com pouca resistência). Para fazer o carro parar mesmo, tem que aplicar mais pressão no pedal para que os freios a disco hidráulicos sejam acionados (durante desacelerações maiores que 0,2g). É questão de adaptação.

O bom do conjunto híbrido é que em nenhum momento há sofrimento, seja por falta de potência ou pela ansiedade de autonomia elétrica. Sempre que precisa, há muita força e um alcance excelente para uma viagem longa.

De fato, nesta faixa de preço, é a configuração ideal para aproveitar os dois mundos. Quando o motorista consegue entender a dinâmica elétrica, pode usufruir do uso urbano sem gastar com gasolina – mundo ideal é na cidade.