Nova Andradina - MS Busca
Jeep 2023

Compre agora, receba em 2023: Jeep tem espera longa no faturamento

Quem comprar um Commander pode receber o carro após fevereiro de 2023, enquanto Wrangler será faturado em março

07:35 - 13 maio 2022 | Por Motor 1.com

Desde que a Jeep mexeu em sua linha, renovando Compass e Renegade e lançando o inédito Commander, a fabricante tem lidado com longas filas de esperas, que em muitos casos chegavam a 6 meses. A situação agora está ainda pior. Algumas versões dos SUVs já têm tantos pedidos feitos que o faturamento pode acontecer apenas em março de 2023, o que dá 9 meses de espera, como é o caso do Wrangler.

Parte de um documento enviado aos concessionários foi parar nas redes sociais, revelando o prazo de faturamento dos Jeep Compass, Commander, Renegade e Wrangler por versão e motorização. A imagem revela que, quem quiser comprar um carro da marca agora e receber o mais cedo possível, teria que optar pelo Renegade Série S (R$ 169.090) sem teto solar, que tem prazo para 31 de maio; ou o Compass Sport (R$ 169.490) para 31 de agosto.

A partir daí, a entrega já começa a ficar bem mais longa. O Renegade Sport de entrada (R$ 127.590) tem um faturamento previsto para 30 de setembro. É o mesmo prazo do Compass nas versões Longitude 1.3 turbo (R$ 175.990), Série S 1.3T (R$ 216.990), Longitude 2.0 turbodiesel (R$ 220.490) e Trailhawk 2.0 TD (R$ 239.990). As configurações Longitude (R$ 142.590) e Trailhawk (R$ 169.090) do Renegade, sempre com o 1.3 turbo, serão faturadas em 31 de outubro.

Daqui a seis meses será a vez de quem comprou o Renegade Série S com teto solar (R$ 177.393) e o Compass Limited flex (R$ 239.990). Por fim, o Compass Limited diesel (R$ 239.990) é o que tem o prazo de espera mais longo para o SUV médio, marcado para 30 de novembro.

A situação é bem pior para quem escolheu o inédito Commander. O menor prazo de faturamento é para a versão Limited com o motor 2.0 turbodiesel (R$ 277.990), previsto para 31 de dezembro. Para as demais, só em 2023, com as versões Overland 1.3 turboflex (R$ 251.990) e 2.0 TD (R$ 306.890) para janeiro; enquanto a configurações Limited 1.3 turbo (R$ 223.690) só seria faturada em 28 de fevereiro. Ao menos não é tão ruim para quem queria comprar o Wrangler na versão Rubicon, a mais cara. Importado dos Estados Unidos, o utilitário será faturado no dia 31 de março de 2023.

Vale lembrar que o documento diz que este é o prazo de faturamento do veículo, quando a nota fiscal foi emitida. O cliente ainda terá que aguardar pelo frete do carro até a concessionária onde a compra foi feita, o que pode levar mais algumas semanas dependendo da região do país, além de possíveis contratempos.

 

A eletrificação da Jeep finalmente desembarcou no Brasil. E o primeiro modelo a puxar a fila nessa nova fase da marca por aqui é o novo Jeep Compass 4xe, inédita versão do SUV médio que chega equipada com motor 1.3 turbo híbrido plug-in. A nova configuração estreia como opção topo de linha do SUV médio que, diferentemente das outras versões que são produzidas em Goiana (PE), vem importada de Melfi (Itália) por R$ 349.990.

Com isso o novo Compass 4xe se junta ao seleto time de SUVs híbridos à venda no Brasil ao lado dos modelos Toyota Corolla Cross e RAV4 Hybrid, com a vantagem que o utilitário da Jeep é um híbrido do tipo plug-in, ou seja, tem um conjunto de bateria maior, entregando mais autonomia no modo elétrico e sendo recarregado por uma tomada. Há ainda outras opções híbridas no mercado nacional, à exemplo dos modelos da Lexus e Volvo, porém esses utilitários acabam se encaixando em uma proposta mais premium e consequentemente têm um preço mais elevado.