Nova Andradina - MS Busca
ESPORTES

Nenhum atleta de MS testou positivo para covid nas Olimpíadas, diz COB

13:57 - 21 jul 2021 | Por MIDIAMAX

Fabrício Barros Ferreira é um dos atletas que representará MS no paratletismo – Foto: Divulgação

Apesar dos recentes casos positivos de covid-19 nas Olimpíadas de Tóquio, os atletas de Mato Grosso do Sul que participarão da competição não foram contaminados pela doença, segundo informado pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro).

Conforme o COB, toda a comissão brasileira está “em perfeito estado de saúde’ e não testou positivo para a doença, incluindo os sete nomes de Mato Grosso do Sul. Os atletas que participarão dos jogos são: Rafael Silva ‘Baby’, Leonardo de Deus, Fernando Rufino, Débora Benevides, Silvania Costa, Yeltsin Jacques e Fabrício Ferreira.

Na natação, o Estado será representado pelo Leonardo, que é campo-grandense, mas cresceu e treinou em várias cidades do Brasil. Já Rafael, que também é da Capital, mas erradicado no Paraná, competirá no judô.

O Estado também possui dois competidores na paracanoagem: Fernando, conhecido como o ‘Cowboy de Aço’, e Débora. Rufino, que é natural de Eldorado, mas cresceu em Itaquiraí, está com a vaga garantida desde agosto de 2019, quando chegou em sexto lugar na prova do caiaque KL2 200m, durante o Mundial de Paracanoagem na Hungria.

Yeltsin Jacques irá disputar as provas de paratletismo e recebeu a companhia dos colegas Silvania Costa e Fabrício Ferreira, de Três Lagoas e Naviraí respectivamente.

Para evitar a contaminação e disseminação da covid-19 entre a delegação do Brasil, o COB adotou medidas como:

De acordo com o COB, também foram enviados 14 mil testes de antígeno às bases do Time Brasil no Japão. Diversos itens de prevenção também foram incluídos no material enviado: 85 mil máscaras descartáveis; 12.500 sapatilhas TNT; 400 borrifadores de álcool; 250 aventais; entre outros produtos.

A distribuição dos uniformes também foi modificada. Agora, cada integrante da delegação receberá os uniformes diretamente em seus quartos, dentro de uma mala. Os atletas tiveram que passar por um rígido protocolo específico, com apresentação de teste sorológico, entrega de exames completos e testagem RT-PCR há 11 dias, 7 dias, 90h e 48h antes do embarque, além de teste de antígeno no aeroporto de Guarulhos.