Nova Andradina - MS Busca
MS

MS está no top 5 entre os estados que vacinaram mais de 60% de adultos

Percentual refere-se apenas à primeira dose contra a covid para o público alvo; menos de 20% da população geral tomou as duas

09:48 - 31 jul 2021 | Por ENFOQUE MS

Apesar de a velocidade da vacinação contra a covid-19 ter engrenado no Brasil, com média superior a 1,5 milhão de pessoas por dia, e em oito estados mais de 60% dos adultos já terem tomado ao menos uma dose, o sonho da imunidade coletiva está longe de ser concretizado, dizem os especialistas. O estado de Mato Grosso do Sul está em quarto em números absolutos e percentuais a corrida pela imunização, com 1.387.154 pessoas acima de 18 anos vacinados com a primeira dose.

No Top 5 dos estados líderes da primeira dose no país, aparece como líder o estado de São Paulo com 72,55% do público alvo, seguido por Rio Grande do Sul (68,23%), Amazonas, com 67,45%, Mato Grosso do Sul (65,08%) e Paraná (64,35%). Outros três superam a marca de 60%: Espírito Santo (63,53), Santa Catarina (62,99) e Acre (61,31).

Considerando duas doses ou pessoas que tomaram a vacina da Johnson, de aplicação única, os números estão bem aquém do desejado. Mato Grosso do Sul está na frente nessa disputa, com 43,55% do público adulto imunizado. Ele é seguido por Rio Grande do Sul, com 33,05%; São Paulo, 27,86%, Espírito Santo (26,35%) e Paraná (25,,29%).

O estado mais atrasado na campanha de imunização é o Amapá, único que não superou a aplicação em ao menos 50% dos adultos (48,01%). Também é o lanterna na segunda dose, com somente 16,03%.

Os dados foram retirados de acompanhamento da vacinação contra a covid-19 no país e cruzados com o número de pessoas acima de 18 anos em cada ente federativo, baseado na estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de 2018.

Desde o início da pandemia, cientistas e organismos internacionais como a OMS (Organização Mundial de Saúde) dizem que a população mundial começaria a perceber a imunidade coletiva (ou de rebanho) após alcançar-se a marca de 65% a 70% das pessoas vacinadas. Com ela, inevitavelmente a doença recuaria e menos pessoas morreriam com a infecção do coronavírus.

Outra questão fundamental é que o Brasil vacinou com as duas doses necessárias apenas 25% dos adultos. O número fica mais preocupante se forem incluídos adolescentes e crianças (eles entram nas contas de imunidade coletiva). Nesse caso, os 40.360.685 habitantes que completaram a imunização representam apenas 19,06% de todos os brasileiros.

“O que é certo é que menos de 20% da população geral concluiu a vacinação. E sabemos que algumas das variantes do coronavírus conseguem infectar a pessoa que tomou uma, mas não entra em quem tomou as duas doses”, diz Pedro Hallal, epidemiologista da Universidade Federal de Pelotas.

Hallal acrescenta que é certo que ao se atingir 60% ou 70% dos brasileiros com duas doses, “certamente os números da doença vão cair lá no chão”.