Nova Andradina - MS Busca
ARTIGO

PARE!! – Eliézer Branquinho

Adm. Empresas/Hospitalar - Bel. Ciências Contábeis

12:48 - 13 abr 2020 | Por Eliézer Branquinho/ Post: Igor Mendonça

O vírus SARS-Cov-2 ou coronavírus, causador da doença COVID-19 foi identificado inicialmente na província de Wuhan, China, como causa de surto de doenças respiratórias, de modo que, nos últimos meses, o referido vírus passou a circular em diversos países, e confirmando a gravidade da questão, no dia 30 de janeiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) tratou a reportada doença como uma emergência de saúde pública internacional OPAS (Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6101:covid19&Itemid=875).
A mencionada disseminação ocorreu por vários fatores, dentre eles: transmissão vertical em convívio social, familiar, ou até mesmo viagem para o exterior.
Na hipótese de algum indivíduo contagiar-se, o sucesso da recuperação está ligado à características da pessoa, tais como: idade avançada, não ser fumante, praticar atividade física, e não possuir doenças crônicas, entre elas: diabetes, hipertensão, obesidade, etc.
Esta enfermidade atingiu o Brasil a partir de fevereiro, sendo que, no dia 11 de março de 2020, a OMS passou a tratá-la como pandemia.
O Ministério da Saúde e a OMS têm informado à população sobre os riscos, a forma de contágio, e sobretudo, dados estatísticos atinentes à quantidade de pessoas infectadas e, infelizmente, as que tiveram vidas ceifadas.
Por outro lado, os brasileiros possuem a consciência de que a saúde não tem preço, mas tem custo, e apesar de todos nós contribuirmos de alguma forma com atendimento, tanto no sistema público ou privado, observamos diariamente as notícias nos vários meios de comunicação sobre a evolução da doença e a quantidade de falecimentos.
Não obstante o empenho dos Organismos Internacionais e do próprio Ministério da Saúde, a população em geral também tem de fazer a sua parte. Os gestores em níveis estadual e municipal tem flexibilizado o isolamento, permitindo, ainda que com ressalvas, a abertura do comércio em alguns locais, visando à manutenção de empregos, e, em última análise arrecadação fiscal para sobrevivência dos serviços que são oferecidos pelo Poder Público, já que, segundo os estudiosos, o cenário vindouro não é nada animador.
Quando as autoridades sanitárias proclamam aos quatro ventos sobre a necessidade do isolamento social visam evitar que a contaminação prossiga de forma explosiva, tal como vem ocorrendo.
Precisamos rever nossos conceitos e orientar nossos familiares sobre a necessidade de se cuidar agora para que possamos abraça-los no futuro.
PARE. RESPEITE O ISOLAMENTO SOCIAL, antes que ocorra como escrito no livro de Eclesiastes capítulo 12 …” e os teus lábios, quais as portas da rua, se fecharem…” e continuando “…e pó volte a terra, como era…”